Última hora

Última hora

Otimismo e prudencia nas conversações de Genebra sobre a Síria

Em leitura:

Otimismo e prudencia nas conversações de Genebra sobre a Síria

Tamanho do texto Aa Aa

Em Genebra, segundo dia de discussões entre os Estados Unidos e a Rússia sobre a entregua do arsenal químico da Síria à ONU de forma a evitar uma ação militar norte-americana contra o regime de Assad.

O governo sírio disse ter aderido de forma plena à convenção global contra armas químicas mas irá precisar de 30 dias para abrir o caminho aos inspectores.

Apesar do aparente avanço na frente diplomática, o secretário norte-americano de Estado, John Kerry, disse que a opção militar não foi descartada caso Assad não cumpra os acrodos firmados.

A proposta russa levou o governo dos EUA a uma pausa nos seus planos para atacar a Síria, que nega ter usado armas químicas contra civis no ataque ocorrido em 21 de agosto nos subúrbios de Damasco, que matou mais de 1.400 pessoas.

“O nosso desafio aqui em Genebra é testar a viabilidade de colocação das armas químicas de Assad sob controle internacional, tirá-las da Síria e destrui-las para sempre.” Declarou John Kerry.

“O desenvolvimento dos eventos dá uma oportunidade adicional para uma segunda reunião a fim sairmos da condição de um confronto militar e impedir ameaça terrorista que está em expansão na Síria e na região.”

Kerry manifestou certo otimismo com as negociações em Genebra, e ainda conseguiu fazer uma pidada: “Perdi a última parte da tradução .. Você pode me dar a última parte por favor?”

Sergey Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa, “Está OK John, não se preocupe”

“Você quer me levar à certa. É um pouco cedo para isso?”