Última hora

Última hora

Aurora Dourada de punho fechado sobre imigrantes na Grécia

Em leitura:

Aurora Dourada de punho fechado sobre imigrantes na Grécia

Tamanho do texto Aa Aa

A suástica e outros símbolos de inspiração nazi são exibidos em plena luz do dia em Atenas. Demarcam a fachada da sede do Aurora Dourada, um grupo de princípios neonazis que tem vindo a ganhar força política com o constante agravamento da crise económica grega.

Em junho de 2012, o Aurora Dourada conseguiu colocar 18 deputados no parlamento grego. Em apenas três anos, o partido de extrema-direita fundado por Nikolaos Michaloliakos passou de 0,29 por cento dos votos para perto de sete por cento. Depois de as sondagens terem revelado em junho passado que haviam ultrapassado os dez por cento nas preferências de voto, o Aurora Dourada tornou-se na terceira força política grega.

No parlamento, os representantes do grupo não hesitam em comportar-se como autênticos hooligans políticos, impondo a voz de forma agressiva e recorrendo até ao insulto. Em maio, após chamar “rebanho de cabras” a membros do Syriza, o partido que lidera o Governo helénico, um deputado do Aurora Dourada acabou expulso do parlamento e ao abandonar a sala não hesitou em gritar “Heil Hitler.”

O Aurora Dourada foi fundado em 1985, após uma gestão embrionária do projeto de quase cinco anos por parte de Nikolaos Michaloliakos. Há duas décadas, o grupo assumidamente racista e nacionalista registou-se como partido político. Associado aos polémicos ideais nazis de Adolf Hitler, o líder do partido recusa a ligação, mas não se chateia com ela porque entende que há ofensas piores. “Eles chamaram-nos nazis uma, duas, dez vezes, mas o que eles não nos podem chamar é ladrões. Estas mãos podem, por vezes, fazer a saudação (nazista), mas estão limpas. Estas mãos não estão sujas, elas não roubaram nada”, gritou Michaloliakos durante um comício.

O Aurora Dourada é um partido 100 por cento pelos gregos e fechado aos estrangeiros. Face ao agudizar da crise, defende o encerramento das fronteiras e a expulsão dos cerca de três milhões de imigrantes ilegais no país como forma de criar mais emprego para os gregos.

Em agosto do ano passado, o partido de Michaloliakos promoveu uma doação de comida aos mais necessitados, mas apenas os que provassem ser 100 por cento gregos poderiam beneficiar da iniciativa. Por outro lado, o Aurora Dourada realizou raides aos mercados gregos em busca de comerciantes estrangeiros ilegais. Os vigilantes de extrema-direita exigiam os documentos aos comerciantes e quando percebiam que eles estavam ilegais destruíam-lhes as bancadas de venda.

A Grécia é uma das principais portas de entrada de imigrantes ilegais na União Europeia. Estima-se que 80 por cento dos imigrantes ilegais no seio dos 28 tenha entrado pelo país. Além disso, cerca de 10 por cento da população grega será constituída por imigrantes. O Aurora Dourada, face ao estado caótico em que está a cair a sociedade grega, não está pelos ajustes e promete manter a pressão contra a presença estrangeira em solo grego.