Última hora

Última hora

Eleições na Alemanha: Partido eurocético passa a ser o alvo das críticas da CDU e SPD

Em leitura:

Eleições na Alemanha: Partido eurocético passa a ser o alvo das críticas da CDU e SPD

Tamanho do texto Aa Aa

A campanha eleitoral na Alemanha entra agora numa fase decisiva com os partidos a realizar as grandes ações e comícios.
O SPD (Partido Social-Democrata), de centro-esquerda e principal partido da oposição, realizou esta quinta-feira um enorme comício em Berlim, na Alexanderplatz, mas desta vez o principal alvo das críticas não foi Angela Merkel, mas o partido eurocético.

O líder do SPD, Peer Steinbrück, garantiu que não tem apenas um interesse político de manter a Europa unida, há também um interesse económico. Por isso, Steinbrück apelou aos alemães para que não se deixem “encantar” pelos eurocéticos do partido Alternativa para a Alemanha. De acordo com as últimas sondagens este partido pode conseguir mais de 5% dos votos, ou seja, um lugar no parlamento alemão.

Angela Merkel, que nas últimas sondagens viu a CDU (União Democrata Cristã) baixar nas intenções de voto, esteve esta quarta-feira, na região de Hessen, em Fulda. A poucos dias das eleições, a Merkel começa a ter de repensar possíveis coligações para formar governo e deve voltar a colocar a hipótese de avançar de novo para uma grande coligação com o SPD, tal como aconteceu entre 2005 e 2009.

Isto porque os atuais aliados do Partido Liberal Democrata correm o risco de não atingir os 5% obrigatórios para ter um lugar no Bundestag, a câmara baixa do parlamento alemão. Numa das últimas ações desta campanha, o ainda ministro dos Negócios Estrangeiros, o liberal Guido Westerwelle, apareceu acompanhado pelo antigo titular da pasta, Hans Dietrich Genscher, que ficou conhecido internacionalmente na altura da queda do muro de Berlim.