Última hora

Última hora

Papa: "Igreja deve acompanhar homossexuais e divorciados com misericórdia"

Em leitura:

Papa: "Igreja deve acompanhar homossexuais e divorciados com misericórdia"

Tamanho do texto Aa Aa

O Papa Francisco afirmou que a Igreja deve acompanhar os homossexuais e os divorciados “com misericórdia”.

Na primeira entrevista, enquanto Sumo Pontífice, publicada ontem pela revista jesuíta Civiltà Cattolica, Francisco mencionou, ainda, a questão do aborto. O Papa afirmou que se uma mulher interrompe a gravidez, um facto“muito pesado” e se está “sinceramente arrependia”, então o ato deve ser perdoado. O Papa acrescentou que “o confessionário não é uma câmara de tortura mas um lugar de misericórdia.”

As posições de Francisco estão a ser saudadas pelos fiéis mais liberais.

“Acredito que ele é o único Papa que teve a coragem para reconhecer os problemas internos da igreja e para tentar enfrentá-los. Coragem para aceitar situações como a homossexualidade, que há casamentos que resultam em separações, todas essas questões,” afirma este católico.

“Finalmente temos um Papa que quer renovar as coisas e espero que ele consiga seguir em frente, especialmente que ele consiga avançar com estas ideias.”, espera este italiano.

O Papa disse ainda que a Igreja não pode estar obcecada com questões relacionadas “com o aborto, o casamento homossexual e o uso de métodos contracetivos “

Neste balanço dos seis meses de pontificado Francisco falou ainda no papel da mulher no seio da Igreja