Última hora

Última hora

Blackberry: O plano para sobreviver

Em leitura:

Blackberry: O plano para sobreviver

Tamanho do texto Aa Aa

Para sobreviver, a Blackberry muda de estratégia. A empresa canadiana de telemóveis abandona o mercado do grande consumo para se concentrar nos clientes empresariais e governamentais. O plano de reestruturação prevê também o despedimento de 4500 funcionários, ou seja, 40% da força laboral.

A empresa espera perdas trimestrais de mais de 700 milhões de euros, com os consumidores a preferirem modelos mais atrativos.

Para o analista digital Pascal Samama “o grande fracasso da Blackberry foi a mudança para seduzir o consumador médio. É um aparelho um pouco elitista. O consumidor médio quer um aparelho com aplicações, lúdico e com serviços e a Blackberry não conseguiu oferecer isso”.

A Blackberry foi pioneira com o seu sistema de email, mas viu-se ultrapassada com o lançamento do iPhone ou aparelhos Android.

A última aposta da Blackberry, os modelos Z10 e Q10, lançados em junho, não permitiu inverter a tendência de queda da empresa. Em junho, a Blackberry tinha uma base mundial de clientes de 72 milhões, menos quatro milhões face aos três meses precedentes.