Última hora

Última hora

Justiça russa castiga ativistas da Greenpeace

Em leitura:

Justiça russa castiga ativistas da Greenpeace

Tamanho do texto Aa Aa

A justiça russa prolongou por dois meses a detenção de um dos 30 ativistas da Greenpeace presos no protesto contra uma plataforma petrolífera da Gazprom no Ártico.

O tribunal interrogou individualmente os ativistas. Denis Sinyakov, fotógrafo que já trabalha nos escritórios da organização em Moscovo, permanecerá em detenção até 24 de novembro por ter fotografado a ação do Greenpeace durante a intervenção das forças de segurança ao navio.

O diretor de programas da Greenpeace na Rússia, Ivan Blokov, considerou que a organização pode levar as autoridades para os tribunais internacionais.

Os tripulantes que estavam na semana passada na embarcação “Artic Sunrise”, que pertence à ONG, foram presos e transferidos para centros de detenção provisórios na cidade portuária de Murmansk. Os ativistas podem ser acusados de pirataria.