Última hora

Última hora

Tribunal Especial confirma 50 anos de prisão de ex-presidente da Libéria

Em leitura:

Tribunal Especial confirma 50 anos de prisão de ex-presidente da Libéria

Tamanho do texto Aa Aa

O Tribunal Especial para a Serra Leoa confirmou, no recurso, a condenação a 50 anos de prisão do ex-presidente da Libéria, Charles Taylor, por crimes de guerra e contra a humanidade.

“Os atos e a conduta de Taylor não só provocaram danos irreversíveis às vítimas e aos seus familiares como também alimentaram um conflito que se converteu numa ameaça para a paz internacional e para a segurança na região”, disse o juiz ao ler a sentença.

Em 2012 Charles Taylor converteu-se no primeiro ex-Chefe de Estado condenado por um tribunal internacional, desde a Segunda Guerra Mundial.

O Tribunal Especial para Serra Leoa considerou-o culpado de onze crimes, entre eles ter assistido e ajudado os rebeldes na vizinha Serra Leoa durante a guerra civil dos anos 90. Entre os outros crimes em que foi cúmplice, foram provados assassínios, violações, mutilações e recrutamento de meninos-soldados, que também serviam como escravos para a extração de diamantes.

O conflito da Serra Leoa causou cerca de 50.000 mortos. Milhares de pessoas foram mutiladas com sadismo: os soldados chegavam a perguntar às vítimas se queriam ficar sem o antebraço ou todo o braço, para usarem manga curta ou manga comprida. Perante a estupefação, ficavam apenas com o coto….

O antigo presidente da Libéria foi detido em 2006 e declarou-se inocente. O histórico veredito demonstra que os senhores da guerra africanos não estão acima da lei. Tayor vai cumprir pena numa prisão britânica de segurança máxima.