Última hora

Última hora

Espanha: Aumentam inscritos nos Centros de Emprego

Em leitura:

Espanha: Aumentam inscritos nos Centros de Emprego

Tamanho do texto Aa Aa

Voltou a subir em setembro o número de desempregados inscritos nos Centros de Emprego espanhóis. Um crescimento de 0,5 por cento, equivalente a mais de 25 mil pessoas, face a agosto e justificado, sobretudo, pelo fim dos contratos de curta duração no setor do turismo.

Este crescimento contraria a tendência dos últimos seis meses de redução dos desempregados em Espanha, mas que é influenciado claramente, entre outros fatores, pelo fim do verão. Setembro é, aliás, por norma um mês de aumento do desemprego em Espanha desde que em 1996 se iniciou a recolha destes dados pelo ministério espanhol do Emprego e da Segurança Social – apenas em 2005, 2006 e 2007 o desemprego não caiu em Espanha no final do verão.

Baixaram, por outro lado, os desempregados inscritos nos setores da construção, agricultura e indústria, no que é visto pelo Governo espanhol como um bom sinal para Cristobal Montoro, o ministro da Fazenda espanhola. “Estes são os melhores resultados desde setembro de 2007 e representam uma mudança na economia espanhola. Significam que o declínio do mercado de trabalho está a atingir o limite. Acreditamos que, em 2014, a Espanha vai estar numa posição de crescimento e de criação de emprego”, referiu o responsável.

No total, segundo os dados do ministério espanhol do Emprego e Segurança Social, a falta de trabalho atinge em Espanha 4,72 milhões de pessoas, com particular incidência nas mulheres (mais 26862 contra apenas 1290 homens), neste aumento de setembro. Entre as comunidades autónomas espanholas com maiores subidas no desemprego estão a Catalunha (mais 9253 pessoas inscritas sem trabalho) e Castela-Leão (5812). Com menos desempregados inscritos em setembro estão Castilla-La Mancha (menos 12040 inscritos) e Canárias (menos 2009).