Última hora

Última hora

Eldorado europeu ou Fronteira da morte

Em leitura:

Eldorado europeu ou Fronteira da morte

Tamanho do texto Aa Aa

A Itália está de luto. O país está ainda em choque após o naufrágio de um barco com 500 pessoas a bordo, vindo do Corno de África. Para Lampedusa, este é o pior de todos os dramas que a ilha já viveu e, como recorda a a televisão italiana Rai3, já foram muitos.

Desde o início do ano, mais de 22 mil imigrantes alcançaram a costa sul da Itália. É o triplo de todo o ano de 2012. Com as revoluções árabes, os números explodiram. Mas fazer contas não chega. O que fazer para evitar mortes inúteis é a questão que a RSI, a Radiotelevisão Suíça Italiana foi colocar a Laurens Jolles, o representante regional do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados.

Lampedusa é uma das portas de entrada na Europa mas não é a única. Melilha, o enclave espanhol em Marrocos, é igualmente vítima do desespero desses imigrantes africanos dispostos a tudo para chegar à Europa. A France2 foi ao encontro de quem arriscou tudo para dar o salto.