Última hora

Última hora

Itália: Mais de 130 mortos ao largo de Lampedusa

Em leitura:

Itália: Mais de 130 mortos ao largo de Lampedusa

Tamanho do texto Aa Aa

À medida que o tempo passa, o balanço das vítimas do naufrágio ao largo da ilha italiana de Lampedusa vai crescendo.

De acordo com os últimos dados fornecidos pelas autoridades italianas, são já mais de 130 os mortos e cerca de 200 os desaparecidos.

Não se sabe exatamente quantas pessoas estavam a bordo da embarcação de pesca que se afundou a cerca de 500 metros da costa.

Uma das primeiras testemunhas a chegar ao local do naufrágio diz que foi muito difícil socorrer as pessoas porque quando tentavam puxá-las para o barco de salvamento, os corpos escorregavam por causa do gasóleo. “Demorámos uma hora para salvar 20 pessoas, as outras afundaram-se com o barco”, conta.

“Todas estas pessoas com os braços no ar a pedirem ajuda. Foi uma coisa horrível”, descreve outra testemunha.

A Itália sente-se impotente para lidar com a chegada de milhares de imigrantes clandestinos todos os anos e com as sucessivas tragédias, o ministro do Interior, Angelino Alfano, aponta o dedo a Bruxelas:

“A Europa deve desempenhar um papel preponderante. Ou a Europa assume esse papel ou tem que parar de dizer que há um duro esforço de ajuda. Nós queremos que esta fronteira, a fronteira de Lampedusa, seja considerada uma fronteira da Europa, não uma fronteira de Itália”.

De acordo com alguns sobreviventes, a embarcação de pesca, proveniente da Líbia trazia a bordo cerca de 500 pessoas, na maioria provenientes da Somália e da Eritreia.

As equipas de socorro conseguiram salvar, até agora, 150 pessoas. Teme-se que o balanço final dos mortos possa chegar aos 300.

O governo italiano decretou um dia de luto nacional esta sexta-feira.