Última hora

Última hora

Obama e Boehner não dão sinais de ceder no quarto dia de paralização parcial dos serviços governamentais

Em leitura:

Obama e Boehner não dão sinais de ceder no quarto dia de paralização parcial dos serviços governamentais

Tamanho do texto Aa Aa

Barack Obama diz-se “disposto a negociar com os republicanos, mas não sob ameaça”. O presidente norte-americano protagonizou uma inesperada saída a pé da Casa Branca para almoçar numa loja de sanduíches das redondezas com Joe Biden.

No quarto dia de paralisação do Estado federal, Obama reforçou a importância de aprovar uma lei de finanças provisória que relance o governo.

O presidente disse que se o líder da maioria republicana na Câmara dos Representantes, John Boehner, “permitir simplesmente o voto, é possível pôr fim ao ‘shutdown’ e muitas famílias […] poderão finalmente receber os salários e pagar as hipotecas”.

Boehner, por seu lado, criticou as declarações de um responsável da administração Obama que disse, no anonimato, que o executivo “está a ganhar” a batalha da crise orçamental.

Boehner diz que “não é um jogo. Tudo o que é pedido é uma discussão, para reabrir o governo e trazer justiça ao povo norte-americano com o Obamacare”.

Os republicanos opõem-se ferozmente à reforma do sistema de seguros de saúde de Obama.

A crise ameaça acentuar-se com o debate do teto do limite da dívida pública e o país pode entrar em situação de incumprimento a partir do dia 17.