Última hora

Última hora

Grécia: mais três deputados neonazis investigados pela justiça

Em leitura:

Grécia: mais três deputados neonazis investigados pela justiça

Tamanho do texto Aa Aa

As novas acusações contra o partido neofascista grego “Aurora Dourada” marcaram a abertura da nova sessão legislativa no parlamento grego.

Três deputados do movimento, que aguardam julgamento em liberdade condicional, regressaram, esta segunda-feira ao hemiciclo, num momento em que a justiça pediu o levantamento da imunidade para outros três membros da formação por envolvimento no assassínio de um cantor de rap no passado dia 18 de setembro.

Para uma deputada do partido Nova Democracia, no poder, Dora Bakoyannis, “estamos a lidar com uma organização criminosa. Estamos a investigar os actos criminosos da Aurora Dourada e como são vários, a justiça tem que terminar esta investigação”.

Para a deputada comunista, Liana Kanelli, “a questão não é de saber se são ou não um gang, mas de convencer as pessoas que este partido não é, nem nunca foi, a solução para nenhum dos problemas do povo”.

Pelo menos 7 membros da formação encontram-se em prisão preventiva, entre os quais o líder Nikolaos Mijaliolakos, o seu número dois e outro deputado, acusados de estarem implicados no assassínio de um cantor de rap.

As novas acusações contra três deputados referem-se a porte de armas de fogo, organização de ataques contra imigrantes em Atenas e mesmo distribuição de literatura nazi aos seus seguidores, como o “Mein Kampf” de Hitler ou o diário de Joseph Goebbels de forma a, segundo testemunhas, “incitar o ódio contra comunistas e judeus”.

Mas o processo judicial parece longe de significar um “crepúsculo” para o partido. Segundo uma sondagem publicada pelo jornal “Proto Thema”, no domingo, apesar de uma ligeira queda de 3%, os neofascistas continuam a ser o terceiro partido mais popular do país.

O “Aurora Dourada” tinha conseguido arrebatar 18 lugares do parlamento, no ano passado, depois de obter 6,9% de votos, utilizando-se do clima de crise económica para impôr uma agenda anti-imigração que, por várias vezes, não se limitou apenas ao debate político.