Última hora

Última hora

Milhares em Jerusalém para prestar homenagem a rabino Yossef

Em leitura:

Milhares em Jerusalém para prestar homenagem a rabino Yossef

Tamanho do texto Aa Aa

A elite política de Israel e milhares de fiéis, na maioria da comunidade ultra-ortodoxa judaica, juntaram-se em Jerusalém para prestar homenagem ao mais influente líder religioso do país. Hospitalizado no fim do mês passado por problemas cardíacos e respiratórios, o rabino Ovadia Yossef faleceu esta segunda-feira aos 93 anos.

O líder espiritual da comunidade sefardita e da formação ultra-ortodoxa Shas era uma personalidade omnipresente na vida política e social de Israel.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu frisou que “ele trabalhou bastante para promover o património judaico, ao mesmo tempo que as suas decisões tomavam em consideração os tempos e realidades da vida no Estado de Israel”.

Nos anos 80, o rabino Yossef chegou a pronunciar-se a favor de concessões territoriais com vista a um acordo de paz com os palestinianos.

Durante um encontro com deputados israelitas em Ramallah, na Cisjordânia, o presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmud Abbas, fez questão de apresentar condolências à família do líder religioso.

No início dos anos 2000, o rabino tinha gerado forte polémica, com declarações contra os palestinianos e os árabes em geral, que tratou de “formigas” e “serpentes”. Nestes últimos anos, acentuou as posições radicais e nacionalistas.