Última hora

Última hora

Prémio Nobel da Paz: todas as apostas são permitidas

Em leitura:

Prémio Nobel da Paz: todas as apostas são permitidas

Tamanho do texto Aa Aa

É tempo de Prémios Nobel de 2013 e já se avançam os nomes dos prováveis vencedores. Principalmente, multiplicam-se as conjeturas sobre o prestigioso Nobel da Paz, com um margem de erro considerável pois, este anos, há mais de 259 candidaturas, um recorde. A lista não foi tornada pública ainda, mas o nome de Malala Yousafzai é o mais repetido nas previsões.

Se a adolescente paquistanesa ganhar – sobre quem os talibãs dispararam na cabeça por defender o direito das raparigas à educação – vai tornar-se a premiada mais jovem da história.
Paradoxalmente, a popularidade não joga a seu favor. Um dos objetivos dos Prémios Nobellala é mediatizar causas pouco conhecidas.

Malala: “Education first, thank you.”

Outro dos nomes que mais se ouve é o de Bradley Manning, o ex-analista do exército norte-americano que passou informações à Wikileaks. Segundo a comissão que apoia este soldado condenado a 35 anos de prisão, as fugas de informação contribuiram para a retirada das tropas norte-americanas norte-americanas do Iraque.

Menos conhecido, mas também um candidato de importância, é o ginecologista Denis Mukwege. Este médico congolês viu-se obrigado a fugir da República Democrática do Congo, em fins de 2012, por ter ajudado mulheres violadas e perseguidas no seu país.

Outro dos favoritos é o Cardeal John Olorunfemi Onaiyekan pelo papel que desempenhou na transição democrática da Nigéria. Também se fala da Madre Teresa do Cairo, uma freira copta que lidera uma associação que ajuda os mais desfavorecidos, independentemente da religião.

Este ano, o país que apresentou mais candidatos foi a Rússia ou, pelo menos, é o que se repete com insistência. Citam-se entre outros, os nomes de três militantes pelos direitos humanos: da esquerda para a direita Liudmila Alexeyeva, Svetlana Gannushkina e Lilia Shibanova.

Mas Vladimir Putin também foi proposto: o presidente figura na lista do instituto Nobel pelo papel de pacificador na crise síria, mesmo se guerra continua.

Putin conta com apoios, mesmo nos Estados Unidos, onde circula uma petição pedindo a Obama que ceda o Nobel da Paz que obteve em 2009, antes de mostrar que o merecia..
Tudo está em aberto até sexta-feira. .

2.24 Fim