Última hora

Última hora

20 anos de prisão para o socialista Tsohatzopoulos, um dos homens mais poderosos da Grécia

Em leitura:

20 anos de prisão para o socialista Tsohatzopoulos, um dos homens mais poderosos da Grécia

Tamanho do texto Aa Aa

20 anos de prisão, pena máxima para o ex-ministro da Defesa grego, o socialista Akis Tsohatzopoulos, por branqueamento de capitais em contratos de armamento.

A justiça deu como provado que o cofundador do Pasok, considerado um dos homens mais poderosos da Grécia, recebeu cerca de 55 milhões de euros em subornos durante a sua passagem pela pasta da Defesa entre 1996 e 2001. Em causa estava, entre outros, o contrato para a compra de quatro submarinos à alemã Ferrostal, quando existia uma oferta mais barata de uma empresa francesa.

A mulher, a ex-mulher, a filha de Tsohatzopoulos e outras 13 pessoas, entre as quais outros familiares e colaboradores do antigo político, foram condenadas por cumplicidade neste processo. Um advogado cipriota e um empresário grego foram absolvidos por falta de prova.

Dado o estatuto das limitações, que protege os ex-detentores de cargos públicos, a justiça não pode condenar Tsohatzopoulos diretamente pelos subornos, tendo-se concentrado na organização que foi criada “com o claro propósito de branquear rendimentos ilícitos”, lê-se no processo.

Dada a idade, 74 anos, Tsohatzopoulos só cumprirá parte da pena e, com o tempo que já passou na prisão, poderá ser libertado dentro de 2 anos, afirmou uma fonte judicial.

Tsohatzopoulos foi o braço direito de Andreas Papandreu ao longo de três décadas e durante os anos em que o Pasok dominou a cena política grega.

Em março, Tsohatzopoulos foi condenado pela justiça a 8 anos de prisão por fraude fiscal e tornou-se no símbolo da corrupção entre a classe política grega, considerada responsável pela crise que o país atravessa.

A Grécia ocupa a 94.ª posição no índice de perceção da corrupção da ONG Transparency International, a pior nota entre os países da União Europeia. Portugal ocupa a 33.ª posição no índice com uma perceção de corrupção no setor público ao nível do Butão e de Porto Rico.