Última hora

Última hora

Alcatel-Lucent: Sindicatos franceses mobilizam-se

Em leitura:

Alcatel-Lucent: Sindicatos franceses mobilizam-se

Tamanho do texto Aa Aa

A Alcatel-Lucent vai suprimir 10 mil postos de trabalho em todo o mundo até finais de 2015, ou seja, o equivalente a 15% dos efetivos. Na divisão Europa, Médio Oriente e África serão eliminados 4100 empregos.

Em França o anúncio foi acolhido com surpresa e preocupação.

Este é o sexto plano de reestruturação desde a criação do grupo em 2006.

O chefe das operações do grupo, Philippe Guillemot, explica que pagam “os fracassos em termos das mudanças tecnológicas, em particular com a 3G. No que diz respeito à França, haverá um impacto com a supressão de 900 postos no quadro de um plano de despedimentos e o encerramento de dois centros: Toulouse e Rennes”.

O ministro francês da Indústria, Arnaud Montebourg, considerou o número de despedimentos excessivo.

Do lado dos sindicatos fala-se de um “tsunami social” e começa a mobilização.

Hervé Lassalle, da CFDT, afirma: “Estamos chocados e zangados. Amanhã vamos falar com os trabalhadores em toda a França para organizar, penso, protestos no país em primeiro lugar. Não sei se os colegas europeus vão unir-se para um protesto conjunto. Mas espero que sim”.

A Alcatel-Lucent quer reorientar-se para a internet de banda larga e poupar mil milhões de euros, depois das contas terem sido, seriamente, afetadas pela concorrência e a crise económica. No ano passado, o grupo franco-americano, que já foi o segundo maior produtor mundial de infraestruturas de telecomunicações, perdeu 1,3 mil milhões de euros.