Última hora

Última hora

Estudantes húngaros despem-se

Em leitura:

Estudantes húngaros despem-se

Tamanho do texto Aa Aa

Os chinelos de dedo, as mini-saias e os calções estão proibidos na Universidade de Kaposvár, no sul da Hungria. Mas há mais, desde o início do mês, não é permitido o uso excessivo de maquilhagem e de acessórios. As novas regras impostas pelo reitor aplicam-se a estudantes e a professores.

“Não é a primeira vez que venho com chinelos de dedo ou com mini saia. É ultrajante pedir a alguém que se vista dos pés à cabeça quando estão 40 degraus no interior. Os professores também têm de se submeter às regras”, afirma a professora Virág Csapó.

Em sinal de protesto, estudantes de teatro decidiram despir-se em plena sala de aula. Alguns ficaram em roupa interior outros completamente nus.

O reitor explica o porquê das novas regras.

“A Universidade presta um serviço, assina uma espécie de contrato com os estudantes e penso que todos têm responsabilidades. Esta é uma sociedade onde nos devemos respeitar e a maneira como nos vestimos reflete isso mesmo”, afirma Ferenc Szávai, reitor da Universidade em Kaposvár.

Resta saber como pretende o reitor sancionar a nudez.

Euronews: “Ainda não é claro se estas ações vão ter consequências, mas tudo leva a crer que os estudantes continuem a frequentar as aulas como sempre fizeram, ou seja, de chinelo no dedo.”