Última hora

Última hora

Nobel da Paz: Os favoritos e os improváveis

Em leitura:

Nobel da Paz: Os favoritos e os improváveis

Tamanho do texto Aa Aa

Estamos prestes a conhecer o vencedor do Prémio Nobel da Paz deste ano.

A favorita entre os favoritos é Malala, a menina paquistanesa que foi baleada na cabeça, enquanto fazia campanha pela escolarização das raparigas. Malala foi levada para o Reino Unido, onde foi operada. Vive agora em Birmingham.

Nas Nações UInidas, emocionou tudo e todos. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, chamou-lhe uma heroína. Malala acaba de ganhar o Prémio Sakharov do Parlamento Europeu.

Outro favorito é o médico Denis Mukwege, da República Democrática do Congo, que tratou mais de 30.000 mulheres vítimas de violação coletiva, durante a guerra civil no país.

É um dos maiores peritos mundiais na reparação das lesões causadas por estes crimes.

O Nobel pode ir ainda para um trio de mulheres russas, liderado pela veterana Lyudmila Alexeyeva. O trio tem combatido as recentes leis de Putin contra os homossexuais e as alegadas ofensas à Igreja.

Se esta é a lista dos prováveis vencedores, há também uma lista dos improváveis – nomes como o de Edward Snowden, o homem que revelou segredos da espionagem cibernética americana.

Outro nomeado que dificilmente conseguirá o Nobel é Vladimir Putin. O presidente russo foi proposto por um grupo de apoio.

Perante as críticas à atuação de Putin, os defensores dizem que merece mais o prémio que Barack Obama. O presidente americano foi o galardoado em 2009.