Última hora

Última hora

Pobreza severa atinge três milhões de espanhóis

Em leitura:

Pobreza severa atinge três milhões de espanhóis

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de três milhões de espanhóis vivem em situação de pobreza severa, ou seja, subsistem com 307 euros por mês.

A incidência do fenómeno duplicou desde o início da crise financeira em 2008.

Estes dados alarmantes são do Observatório da Realidade Social apresentado esta quinta-feira pela Cáritas espanhola.

A organização constata que o fosso entre os cidadãos que têm acesso a bens e serviços e os que não têm é cada vez maior na sociedade espanhola.

“Tive que recorrer à sopa dos pobres porque só trabalho ao sábado e domingo num lar de idosos e ganho 320 euros”.

“Estou há bastante tempo sem trabalho e recebo o subsídio mínimo”.

Para os organismos de ajuda social, o diagnóstico é simples:

“O facto de ter que haver cantinas sociais e que tenhamos sido obrigados a abrir mais, é o fracasso de uma sociedade, o fracasso de todas as políticas sociais que temos tido nos últimos anos”, afirma o responsável de uma cantina social.

Só em 2012, a Cáritas espanhola deu assistência a quase dois milhões de pessoas: famílias em situação de precaridade causada pela crise, idosos, crianças e imigrantes. Um total de 276 milhões de euros de fundos, na maioria provenientes de doações privadas.