Última hora

Última hora

Ciclone Phailin: Mais de meio milhão de indianos já abandonou as suas casas

Em leitura:

Ciclone Phailin: Mais de meio milhão de indianos já abandonou as suas casas

Tamanho do texto Aa Aa

Com o ciclone Phailin a ameaçar a costa leste da Índia, as autoridades decidiram evacuar as zonas de alto risco e deslocar mais de meio milhão de pessoas.

No Estado de Orissa, 450.000 pessoas tiveram de abandonar as suas casas; 100.000 fizeram o mesmo no Estado vizinho de Andhra Pradesh, igualmente no golfo de Bengala, onde os hotéis costeiros foram igualmente evacuados.

Centenas de turistas aguardam, agora, nos aeroportos, onde os voos foram cancelados.

Os habitantes da região estão temporariamente alojados em edifícios disponibilizados pelo governo regional ou em mesquitas e templos. Mas as condições não são as melhores, como se depreende das palavras de um residente: “Não há espaço suficiente nos abrigos e é difícil arranjar alojamento. Não tomámos uma refeição decente desde ontem à noite. E as casas-de-banho também não funcionam.”

Duas pessoas já perderam a vida devido à queda de árvores e à derrocada de casas.

Entre abril e novembro, a Índia e o vizinho Bangladesh são regularmente atingidos por ciclones, que se desenvolvem no golfo de Bengala.

O ciclone Phailin, grande como a França, segundo as imagens de satélite, prevê-se que seja o mais forte dos últimos 14 anos, com ventos que já ultrapassaram os 300 km/h e deve atingir em cheio a região ao final do dia – início da madruga, na Europa.

Em 1999, um ciclone semelhante provocara mais de oito mil mortos. Desta vez, as autoridades dizem estar mais bem preparadas, graças a previsões mais exatas e a uma maior antecipação. Este é o mais plano de evacuação jamais preparado, na Índia.