Última hora

Última hora

Imigração: Itália triplica meios de vigilância no Canal da Sicília

Em leitura:

Imigração: Itália triplica meios de vigilância no Canal da Sicília

Tamanho do texto Aa Aa

A Itália não têm mãos a medir. Esta segunda-feira, mais 200 imigrantes chegaram a Lampedusa e à Sicília, depois de, no domingo, terem sido salvos, no mar.

Após os dois naufrágios que fizeram cerca de 400 mortos numa semana, a Itália decidiu triplicar, já a partir desta terça-feira, os meios de vigilância no Canal da Sicília. É a operação “Mare Nostrum”.

Principal porta de entrada dos imigrantes africanos, Roma recusa, contudo, assumir sozinha o papel de fronteira externa da Europa.

“O Frontex tem de ser reforçado”, afirma o primeiro-ministro italiano, Enrico Letta, que garante: “Vamos discutir isso durante o Conselho Europeu de 24 e 25 de outubro. Mas não podemos esperar pelas agendas dos parlamentos ou das instituições europeias. Quando se trata de vidas humanas, temos de agir imediatamente.”

Esta segunda-feira, as primeiras 150 vítimas do naufrágio de 3 de outubro foram a enterrar, maioritariamente na cidade siciliana de Agrigento. O naufrágio provocou a morte a, pelo menos, 364 pessoas; 155 puderam ser salvas.

Os imigrantes vinham sobretudo da Eritreia e da Somália. Famílias inteiras, em busca de um futuro melhor.