Última hora

Última hora

Há 30 milhões de "escravos modernos" no mundo

Em leitura:

Há 30 milhões de "escravos modernos" no mundo

Tamanho do texto Aa Aa

Trinta milhões de humanos vivem atualmente em condições de escravatura, perto de metade dos quais na Índia. Estes números são avançados no primeiro índice mundial da escravatura moderna, publicado pela Walk Free, com base na Austrália.

Três quartos das vítimas encontram-se na Ásia, mas “nenhum continente é poupado”, segundo o relatório da organização caritativa fundada em 2012.

O magnata da indústria mineira é um dos homens mais ricos da Austrália, Andrew Forrest, que fez da Walk Free a sua mais recente iniciativa filantrópica, diz que “a exploração dos mais fracos é o lado mais negro da mente humana, quando se dispõe a abusar de outro ser humano, seja por ganância, lucros ou sexo. E talvez nunca tenha havido, de forma coletiva, tantos escravos no mundo como existem hoje em dia”.

A Walk Free conta com apoios de peso no combate contra a escravatura moderna, como o fundador da Microsoft, Bill Gates, ou a antiga secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, que diz que “este índice ajudará a encontrar respostas e lembra que o tráfico de pessoas é um crime que afeta todos os países do mundo. Todos os governos têm a responsabilidade de lidar com o problema e nenhum está a fazer o suficiente”.

A Walk Free fez uma lista de 160 países, definindo a escravatura moderna como uma situação em que pessoas são exploradas economicamente, sob ameaça de represálias e violência. Portugal encontra-se na posição 147, com mais de 1300 “escravos modernos”.