Última hora

Última hora

Imigração: executivo francês encostado à parede

Em leitura:

Imigração: executivo francês encostado à parede

Tamanho do texto Aa Aa

Estudantes, professores e encarregados de educação saíram à rua em Paris para contestar a política de imigração em vigor em França.

Ao caso de Leonarda, natural do Kosovo, junta-se agora o de Khatchick um jovem arménio. Dois imigrantes em situação ilegal expulsos do país.

Esta quinta-feira milhares de pessoas pediram ao governo que acabe com a expulsão de alunos estrangeiros.

“Não podíamos ficar indiferentes ao que aconteceu com os dois jovens expulsos na semana passada para o Kosovo e para a Arménia. Estamos revoltados com uma situação que consideramos vergonhosa e estamos ao lado deles”, afirma um estudante francês.

Os manifestantes pedem a regularização das famílias em situação ilegal e a demissão do ministro do Interior.

Na mira das críticas está também, o chefe Estado, François Hollande. Do Kosovo não chegam críticas, mas apelos.

“Esta não é a minha casa. A minha casa é em França porque é lá que tenho os meus amigos, o meu namorado, os meus professores, a minha escola, o meu futuro, tudo. Aqui não tenho nada. Não sei porque estou no Kosovo. Incentivei toda a gente a votar em François Hollande e não entendo porque nos enviou para o Kosovo. Peço-lhe, por isso, que nos faça regressar o quanto antes porque não quero perder mais aulas”, afirma Leonarda Dibrani.

Leonarda foi interpelada pela polícia durante uma visita de estudo e enviada para o aeroporto. A família recebeu ordem de expulsão depois de ver recusado o pedido de asilo.