Última hora

Última hora

Uma nova forma de tratar a madeira para reduzir a desflorestação

Em leitura:

Uma nova forma de tratar a madeira para reduzir a desflorestação

Tamanho do texto Aa Aa

A Europa é a região do mundo que mais importa bens associados à desflorestação das terras.

Segundo a Comissão Europeia, entre 1990 e 2008, os países da União importaram e consumiram cerca de 9 milhões de hectares de terras desflorestadas, cerca de três vezes o tamanho da Bélgica.

Números que contrastam com a promessa europeia de reduzir a desflorestação tropical bruta em 50% até 2020.

Uma possível resposta ao problema poderá vir da Noruega.

A empresa Kebony criou um processo para tornar a madeira comum mais resistente.

A madeira é tratada com resinas vegetais, torna-se mais escura e mais rija, à semelhança das madeiras tropicais, como a teca e o ébano.

As resinas são elaboradas a partir de resíduos biológicos e sub-produtos de florestas geridas de forma sustentável.

“As madeiras de lei tradicionais têm propriedades muito importantes para as construções de exterior. Duram muito e mantêm uma bom aspecto ao longo do tempo mas agora, com todas as ameaças ambientais devido à exploração das madeiras tropicais, é preciso algo que as substitua de modo a proteger a natureza”, explicou Jan Terje Nielsen, director de marketing da Kebony.

A maior vantagem do produto é o facto de resistir melhor às intempéries e ao desgaste do tempo, sem ter de recorrer a revestimentos à base de produtos químicos não naturais.

O novo material dura três vezes mais do que uma madeira tratada e é uma alternativa sustentável que poderá ajudar a preservar as florestas tropicais.