Última hora

Última hora

Obama "fura" bloqueio nos EUA: por 3 meses ou por 3 anos?

Em leitura:

Obama "fura" bloqueio nos EUA: por 3 meses ou por 3 anos?

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de milhares de funcionários da administração norte-americana regressaram ontem ao trabalho depois do senado ter posto fim a 16 dias de impasse orçamental. Um bloqueio que termina com a aprovação de um acordo temporário entre democratas e republicanos para aumentar o limite da dívida até dia 7 de fevereiro.

Barack Obama que rejeitou ontem falar “de vencedores e de vencidos”, espera agora reatar o entendimento com a oposição depois de ter resistido a qualquer concessão sobre a reforma do sistema de saúde, na base do braço de ferro das últimas duas semanas.

Mas, segundo o analista Michael Tanner, do Cato Institute, o consenso arrisca-se a ser tão temporário quanto o acordo aprovado na quarta-feira:

“Eu penso que os problemas vão regressar já em janeiro e não necessariamente sobre os mesmos temas. Ainda hoje o presidente disse que qualquer decisão futura vai ter de incluir um aumento do orçamento. Os republicanos não vão aceitar aumentar os impostos e vão voltar a exigir cortes na despesa, os democratas, por seu lado vão dizer ‘não’, vamos livrar-nos dos cortes orçamentais automáticos (“sequester”), vamos aumentar os impostos”.

E enquanto os economistas tentam contabilizar os custos de 16 dias de bloqueio, em especial para o crescimento da economia norte-americana e na manutenção do AAA das agências de notação, os analistas políticos interrogam-se sobre a capacidade de Obama em reatar o diálogo sobre a despesa do estado mas também sobre a reforma da lei sobre a imigração.

Fica por saber se a “vitória” do presidente sobre o “bloqueio” da oposição durará apenas três meses ou se perdurará durante três anos, o resto do mandato de Obama.