Última hora

Última hora

Prémios WISE 2013

Em leitura:

Prémios WISE 2013

Tamanho do texto Aa Aa

Todos os anos, a Cimeira Mundial para a Inovação na Educação, WISE, dá prémios a seis projetos educativos, que de alguma forma transformaram a vida de alguém. Vamos ver os vencedores deste ano e perceber as razões dos prémios.

Ensinar é uma coisa, outra é trazer os anlunos para dentro da sala de aula. Em África, isso é ainda uma barreira. O próximo desafio é fazer com que os estudantes completem o curso. Vamos ver como é que um projeto no Uganda está a atacar esse problema, sobretudo nas escolas secundárias.

A PEAS (Promoting Equality in African Schools – promover a igualdade nas escolas africanas) é uma ONG britânica, fundada por John Rendell em 2002. A organização criou um modelo que permite a existência de escolas acessíveis e autossuficientes.

www.peas.org.uk/about-us/peas-uganda
www.peas.org.uk/
www.peas.org.uk/node/373

Fazer com que os alunos entrem para uma escola de pedra e cal é um desafio. E quanto às escolas virtuais? Como é ligar o computador todas as manhãs, em vez de apanhar o autocarro escolar? Vamos ver um projeto na Irlanda, que oferece aos estudantes um diploma reconhecido no mercado de trabalho.

Esta é a história de um irlandês diferente dos outros. Em Galway, um porto no oeste do país, ninguém conhece a cara dele, mas todos conhecem a lenda. Como sabe que a formação profissional é, muitas vezes, cara e pouco acessível, em 2007 decidiu apresentar uma nova ideia.

Mike Feerick criou um site, que batizou ALISON, no qual pessoas de todo o mundo podem encontrar cursos, lições e exercícios.

alison.com/
en.wikipedia.org/wiki/ALISON_)
alison.com/news/ALISON-WINS-TOP-GLOBAL-EDUCATION-INNOVATION-AWARD

No que toca à educação primária e pré-primária, é importante dar a melhor educação possível, mas também preservar as tradições e a cultura local. Vamos ver um projeto em Marrocos.

Alguns podem pensar que se trata de uma miragem, mas esta escola existe. Estamos em Laazib, a duas horas de Casablanca, em pleno campo marroquino.

Antes, não havia aqui nada. Não havia um único professor nos quilómetros em redor. Nesta escola da fundação Medersat.com, os alunos aprendem em berbere, que é a língua materna deles. A aldeia pode agora esperar um futuro melhor.

www.lnt.ma/societe/les-ecoles-medersat-com-fetent-leurs-premiers-bacheliers-55046.html
www.wise-qatar.org/content/medersatcom