Última hora

Última hora

Rússia: Greenpeace assinala detenção de ativistas há 30 dias

Em leitura:

Rússia: Greenpeace assinala detenção de ativistas há 30 dias

Tamanho do texto Aa Aa

Há 30 dias que os participantes num protesto da Greenpeace se encontram numa prisão russa. No dia 19 de setembro, as autoridades russas detiveram os 28 tripulantes e os dois jornalistas que se encontravam a bordo do Arctic Sunrise, depois dos ativistas da Greenpeace terem tentado escalar uma plataforma da Gazprom.

“Têm sido 30 dias de injustiças, 30 dias de acusações absurdas. Temos assistido a um comportamento muito estranho por parte de um tribunal russo. Hoje viemos aqui dizer que isto tem que acabar” – afirmou, Vladimir Chuprov, o responsável pelo Programa Ártico da Greenpeace na Rússia. Além de Moscovo, a organização ecologista organizou várias manifestações em muitas cidades do mundo, entre elas Groningen, na Holanda. O navio da Greenpeace que foi arrestado tem pavilhão holandês.

Na véspera da manifestação, as câmaras de vigilância do escritório da Greenpeace em Murmansk, onde os trinta arguidos se encontram detidos, filmaram uma efração cometida por homens encapuzados. Uma falsa jaula, que deveria ter sido utilizada no protesto desta sexta-feira, desapareceu.

Os ativistas foram acusados de pirataria e incorrem numa pena de prisão de 15 anos. Os arguidos deverão ficar em prisão preventiva até ao início do julgamento, agendado para 24 de novembro.