Última hora

Última hora

Suíça: O fim do segredo bancário

Em leitura:

Suíça: O fim do segredo bancário

Tamanho do texto Aa Aa

A Suíça deu o golpe fatal ao seu famoso segredo bancário. O governo helvético assinou, esta semana, a convenção da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) para a luta contra a evasão fiscal.

A Suíça é o 58° país a assinar a Convenção multilateral de Assistência administrativa mútua em matéria fiscal. O documento prevê que os países cooperem em termos fiscais e tributários para “caçar” os que querem fugir ao fisco nos respetivos países. O objetivo da OCDE é ter, se possível em 2015, um sistema de troca automática de dados fiscais.

O documento tem ainda de ser ratificado pelo parlamento, mas para “Emmanuel Fragniére, professor de Economia em Genebra, entrevistado pelo jornal “Tribune de Genève”“:http://www.tdg.ch/economie/argentfinances/accord-locde-nempechera-levasion-fiscale/story/20962107, “o acordo constitui a declaração de morte do segredo bancário suíço”.

Desde 2008, que a Suíça tem sido pressionada pelo seu segredo bancário.

Desde o início da crise financeira mundial, Berna já subiu o imposto sobre as contas de cidadãos europeus, não residentes no país, enviando o dinheiro para o país de origem do detentor bancário. E, recentemente, assinou com os Estados Unidos um acordo para a transferência de dados de contribuintes norte-americanos com contas na Suíça.

A Confederação helvética tentava assim abrir caminho para a resolução do conflito sobre evasão fiscal entre vários bancos suíços e a justiça norte-americana. Na sequência dos problemas com os Estados Unidos, dois bancos privados suíços já fecharam. O último é o banco Frey&Co, que anunciou hoje a decisão

.