Última hora

Última hora

Luxemburgo: Será o fim da era Juncker?

Em leitura:

Luxemburgo: Será o fim da era Juncker?

Tamanho do texto Aa Aa

Irá Jean-Claude Juncker suceder a Jean-Claude Juncker? Os menos de 240 mil eleitores do Luxemburgo decidem hoje se o antigo chefe do Eurogrupo será reconduzido para um 5.º mandato à frente do governo luxemburguês.

As previsões apontam para uma queda do CSV – o partido de Juncker – e para a ascensão dos liberais do Partido Democrático para o nível dos socialistas.

Juncker espera um resultado eleitoral em linha com os sufrágios precedentes. O nome do antigo líder da zona euro tem sido apontado como potencial sucessor de Herman van Rompuy à frente da União Europeia. Para já, Juncker afirma não ter a “ambição de um futuro em Bruxelas”, mas sim no Luxemburgo.

As legislativas foram antecipadas sete meses depois dos socialistas, tradicionais aliados do CSV terem retirado o apoio à coligação na sequência do escândalo de espionagem dos serviços secretos luxemburgueses a grande parte da população e da classe política.

Os liberais têm vindo a ganhar força e apresentam-se como a lufada de ar fresco que o país precisa. O seu líder, Claude Meisch, considera que “o povo está verdadeiramente à espera de uma mudança política no Luxemburgo. É isso que deseja a seguir” às eleições.

O desemprego, que aumentou substancialmente nos últimos tempos, fixando-se agora nos 7%, é outra arma de arremesso da oposição para tentar acabar com 18 anos de Juncker no poder.

O partido do primeiro-ministro governou o Grão-ducado nos últimos 60 anos, apenas com uma interrupção. Agora, segundo os analistas, o resultado da corrida é uma incógnita com desenlace marcado para o final do dia.