Última hora

Última hora

Vladimir Putin acusa rivais de Moscovo de manipularem os radicais muçulmanos para enfraquecer o Estado russo.

Em leitura:

Vladimir Putin acusa rivais de Moscovo de manipularem os radicais muçulmanos para enfraquecer o Estado russo.

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia russa prossegue a investigação, na sequência do atentado à bomba em Volgograd, uma cidade industrial do sul da Rússia.

O ataque foi perpetrado por uma mulher suicida, num autocarro, matando seis pessoas e deixando 30 feridas.

O presidente Vladimir Putin durante um encontro com clérigos muçulmanos na cidade de Ufa acusou, sem citar nomes, os rivais estrangeiros de Moscovo de recorrerem ao Islamismo radical para enfraquecer o Estado russo.

“Algumas forças políticas usam o Islão, as correntes radicais no seu seio, o que não é típico dos muçulmanos russos, para enfraquecer o nosso Estado e criar conflitos em solo russo que possam ser manipulados do estrangeiro”, disse o presidente russo.

A explosão foi filmada pelos ocupantes de um outro veículo.

O atentado aconteceu a poucas centenas de quilómetros da estância turística de Sochi, quatro meses antes da inauguração dos Jogos Olímpicos de Inverno.

Vladimir Putin pediu às autoridades que reforcem a segurança na região de forma a tranquilizar organizadores e participantes dos Jogos.

O local onde os atletas olímpicos vão competir situa-se relativamente próximo da fronteira do norte do Cáucaso, onde os insurgentes tentam criar um estado islâmico, recorrendo a ações violentas.

Desde 2010 foram mortas 80 pessoas na Rússia, em atentados organizados pela guerrilha do Daguestão.