Última hora

Última hora

Semana da Moda de Jacarta

Em leitura:

Semana da Moda de Jacarta

Tamanho do texto Aa Aa

Decorre até sexta-feira a Semana da Moda de Jacarta, na Indonésia. Linhas geométricas e armações à vista para acentuar volumes foram as propostas da estilista indonésia M.V Lydia. A coleção da marca local Abocs propôs um pronto-a-vestir descontraído, marcado por cores sóbrias dominadas pelo bege.

Svida Alisyahbana, da organização, explica: “O objetivo da Semana da Moda de Jacarta é dinamizar a indústria da moda. Pretende-se promover não apenas os estilistas mas há todo um trabalho de bastidores para que a Indonésia seja o centro da moda da região. Acredito que o é, de facto.”

A passarela pareceu invadida pelo pontilismo e até pelo japonismo. Na realidade, o que faz desta coleção de Edward Hutabarat a jóia da casa é o batique, uma técnica para pintar tecido artesanal, originária da ilha de Java. A estilista Steffie Setiawan apresentou uma paleta menos ousada, em torno do branco, preto e cinza e preferiu ver a passarela como um tabuleiro de xadrez.

A semana da moda de Jacarta, que começou em 2008, é a mais importante do país e quer ser uma alavanca para os estilistas locais, como sublinha o especialista de moda Gilian Stevan: “Há muitos designers de moda jovens. Eles estão cheios de talento e em contacto com estilistas estrangeiros e mais velhos. Esta edição é muito melhor do que a do ano passado.”

Decotes em V e muito romantismo marcam toda a linha da coleção de Ardistia Dwiasri, uma estilista que está a dar provas em Nova Iorque e é um dos nomes indonésios mais conhecidos no circuito internacional da moda.

Lusiana Siauw apresentou silhuetas elegantes com ambição de posteridade. A cor bege domina esta linha inspirada nos espartilhos clássicos e na moda da corte de Versalhes.