Última hora

Última hora

Espionagem a Merkel domina Cimeira Europeia de Outono

Em leitura:

Espionagem a Merkel domina Cimeira Europeia de Outono

Tamanho do texto Aa Aa

A espionagem norte-americana à chanceler alemã marcou o arranque da Cimeira de Outono em Bruxelas. À chegada ao Conselho Europeu, Angela Merkel afirmou que “espionagem entre amigos é algo que não se faz”. A chanceler defende que a espionagem entre aliados é “inaceitável”, e que “a confiança deve ser agora restabelecida”.

Também o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso declarou que, na União Europeia, o direito à privacidade é “fundamental”. E todos os líderes europeus parecem estar de acordo.
Elio di Rupo, o Primeiro-ministro belga lembra que “não podemos aceitar, de quem quer que seja, esta espionagem sistemática. É necessário chegar a acordo com um determinado número de países para acabar com esta situação.”

Antes de ter rebentado mais esta polémica o ponto mais importante a ser debatido nesta cimeira era a questão da migração, depois do naufrágio que matou mais de 300 pessoas, ao largo de Lampedusa, em Itália.

O Primeiro-ministro italiano, Enrico Letta, defende que “esta cimeira se deve concentrar em dar respostas à questão da imigração. O que aconteceu em Lampedusa não pode voltar a acontecer. Temos uma posição muito clara queremos que a Europa mude de atitude sobre esta matéria.”

No programa deste Conselho Europeu está ainda o debate das propostas da Comissão para reforçar a economia digital, a implementação da união bancária e a coordenação de políticas económicas e de apoio ao emprego.