Última hora

Última hora

República Checa: Sociais-democratas vencem sem maioria

Em leitura:

República Checa: Sociais-democratas vencem sem maioria

Tamanho do texto Aa Aa

Os Sociais-democratas venceram as eleições na República Checa mas sem a esperada maioria. A formação liderada por Bohuslav Sobotka terminou com apenas 22% dos votos, quando ambicionava chegar aos 30%, o que lhe permitiria governar sozinho.

Isto obriga a uma coligação com os comunistas, a terceira força mais votada, e/ou com o ANO, que acabou por ficar em segundo.

“Queremos encontrar-nos com os restantes partidos, nos próximos dias, para compararmos os nossos programas eleitorais, as nossas prioridades políticas, para prepararmos o programa do próximo governo estável da República Checa”, afirmou Sobotka.

As negociações, para a formação de um governo de coligação, vão ser complexas. Andrej Babis, o líder do ANO – movimento “Aliança dos Cidadãos Descontentes” – já rejeitou um acordo de coligação. Esta acabou por ser a segunda força mais votada alcançando 19% dos votos, um resultado surpreendente:

“O número de pessoas que votaram em nós foi inacreditável. Nunca esperámos consegui-lo. Agradecemos muito. Acho que os eleitores valorizaram a nossa campanha positiva, o facto de não termos atacado ninguém”, adiantou Babis depois de conhecidos os resultados.

Os Sociais-democratas estão disponíveis para negociar com todos os partidos exceto com as duas formações de centro-direita que fizeram parte do anterior governo. Um executivo que caiu, em junho, na sequência de um escândalo de corrupção que envolveu o primeiro-ministro.