Última hora

Última hora

'Waar': A superprodução do Paquistão

Em leitura:

'Waar': A superprodução do Paquistão

Tamanho do texto Aa Aa

É a primeira grande produção do Paquistão e um retrato da conturbada relação do país com a vizinha Índia. Em “Waar”, os heróis paquistaneses lutam contra a ameaça de vilões indianos que com a ajuda de militantes islamitas espalham o caos pelo país.

Aos 31 anos, Bilal Lashari realiza um filme que apela ao heroísmo nacionalista e alimenta o ódio que já levou a três guerras entre os dois países desde a independência do Império Britânico em 1947.

O realizador estava à espera de uma boa estreia, mas não da “espetacular reação” com recordes de audiência a cada dia que passa. “É avassalador”, explica.

‘Waar’ demorou mais de três anos a ser produzido e custou mais de dois milhões de dólares num país onde as produções rondam normalmente os 25 mil dólares. Na primeira semana de exibição, a bilheteira redeu cerca de 900 mil dólares, segundo os distribuidores, um recorde para o cinema paquistanês.

Filmado com o apoio do todo-poderoso exército paquistanês, o filme alimenta uma retórica nacionalista violenta, segundo afirmam as vozes mais liberais no Paquistão.

Para um crítico de cinema local, “o enredo é fraco e pouco convincente. Um filme com pouco para pensar, mas recheado de ação e que acaba por ser agradável de ver”.

Ainda sem datas de exibição para a Índia, ‘Waar’ tem já pedidos para distribuição no Dubai bem como no Reino Unido e nos Estados Unidos, entre outros países.