Última hora

Última hora

Jornalistas franceses raptados e mortos no Mali

Em leitura:

Jornalistas franceses raptados e mortos no Mali

Tamanho do texto Aa Aa

Está confirmada a morte dos dois jornalistas franceses no norte do Mali, pouco depois de terem sido sequestrados na cidade de Kidal.

A informação inicialmente avançada por fontes malianas foi, entretanto, confirmada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros francês.

Os jornalistas estavam ao serviço da RFI. Na redação, o ambiente é de cólera e de tristeza.

“É impossível ter um guarda-costas para cada jornalista quando em jogo estão este tipo de atos. Quisemos dar voz às pessoas no terreno. Era esse o nosso objetivo. A questão que se coloca é o que fazer perante tamanha barbárie. Deixar de ir a determinados lugares, deixar de dar informação? Pessoalmente não quero que isso aconteça” afirma Marie Christine Saragosse, diretora executiva do grupo France Médias Monde.

Os corpos foram encontrados a cerca de 12 quilómetros de Kidal reduto do grupo independentista tuaregue, Movimento Nacional de Libertação de Azawad.

As circunstâncias em que tudo aconteceu, ainda, não são claras. Os jornalistas foram surpreendidos por homens armados junto à casa de um dirigente tuaregue em Kidal e obrigados a entrar numa viatura que seguiu em direção a leste.

No encalce dos raptores estavam militares e dois helicópteros franceses.