Última hora

Última hora

Quadros confiscados pelos nazis encontrados em Munique

Em leitura:

Quadros confiscados pelos nazis encontrados em Munique

Tamanho do texto Aa Aa

Foram encontrados num apartamento em Munique perto de 1.500 quadros de mestres como Picasso, Matisse e Chagall.

As obras foram confiscadas pelos nazis a colecionadores judeus ou vendidas por judeus perseguidos.

Os quadros foram encontrados num apartamento de um octogenário, cujo pai os comprou nas décadas de 1930 e 1940.

“Os quadros têm um valor inestimável, se não forem falsos, o que não creio. É um tesouro de valor incalculável, porque os preços dependem do mercado de arte. As obras de “arte degenerada”, se forem bons trabalhos, podem atingir preços incríveis”, disse Wilhelm Warning, perito de arte.

Os quadros, de grandes mestres do século XX incluindo os alemães Emil Nolde, Franz Marc, Max Beckman e Max Liebermann, terão sido avaliados em cerca de mil milhões de euros.

“Este caso mostra a extensão do crime organizado do roubo de obras de arte ocorridos em museus e coleções privadas, a maioria das quais na posse de judeus”, afirmou Ruediger Mahlo, representante de uma organização judia.

Alguns dos quadros terão sido confiscados por agentes do Terceiro Reich por serem consideradas como “arte degenerada”, por oposição à arte oficial, definida por Adolf Hitler, e também revendidos pelos nazis.

Entre as obras encontradas, enconta-se um quadro de Henri Matisse que tinha pertencido ao colecionador judeu Paul Rosenberg, forçado a abandonar a coleção quando fugiu de Paris.