Última hora

Última hora

Alemanha: Autoridades tentam determinar a origem das obras de arte encontradas em Munique

Em leitura:

Alemanha: Autoridades tentam determinar a origem das obras de arte encontradas em Munique

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades alemãs tentam organizar a gigantesca tarefa de estabelecer a origem de 1.500 obras de mestres como Picasso, Matisse, Marc Chagall, Max Liebermann ou Otto Dix encontradas num apartamento em Munique.

O caso, revelado no domingo pelo semanário Focus, está a ser investigado há vários meses pelas autoridades que se têm mantido no silêncio.

Hoje a Procuradoria-Geral de Augsburg deu uma conferência de imprensa.

“Quando estamos perante estas obras de arte que durante muito tempo foram dadas como desaparecidas ou destruídas, sentimos uma alegria incrível. Estão todas em relativo bom estado. Algumas estão sujas, mas não estão danificadas”, disse a historiadora de arte Meike Hoffmann.

O espólio foi encontrado, no início de 2011, no apartamento do octogenário Cornelius Gurlitt, que sofre de um transtorno obsessivo de comportamento que leva à acumulação compulsiva de objetos.

Cornelius herdou as obras do pai, Hildebrand Gurlitt, um colecionador de arte inicialmente ameaçado pelos nazis, porque tinha uma avó judia, que mais tarde se tornou indispensável para ajudar a vender obras roubadas ou apreendidas no exterior.