Última hora

Última hora

Espanha: Ministro da Educação foi sensível aos protestos

Em leitura:

Espanha: Ministro da Educação foi sensível aos protestos

Tamanho do texto Aa Aa

O ministro da Educação de Espanha, José Ignacio Wert, viu-se obrigado a renunciar às alterações que havia anunciado para a atribuição de bolsas Erasmus depois de o ano letivo ter começado.

As críticas vieram de toda a Espanha e também de Bruxelas.

A alteração das regras, anunciada segunda-feira, afetava cerca de 39 mil universitários a estudar no estrangeiro.

“Nasceram muitas incertezas nos estudantes que já beneficiam deste programa e tinham expectativas. Temos que saber escutar e sermos sensíveis a essas incertezas”, disse o porta-voz do Partido Popular.

O subsídio do governo espanhol não será retirado este ano letivo, mas para 2014/2015, os estudantes não beneficiarão da ajuda do Estado.

“Entenda-se que não poder contar com 40 euros por mês e que em troca deste sacrifício conseguimos que estudantes cujas famílias tenham baixos rendimentos recebam mensalmente entre 250 a 300 euros, é uma medida razoável”, afirmou Montserrat Gomendio, secretária de estado da Educação.

Em outubro uma greve de três dias culminou com a paralisação de milhões de estudantes em protesto contra os cortes na educação, aplicados pelo governo de Mariano Rajoy.

No último dia de greve estudantes, professores e pais denunciaram a reforma educativa impulsionada pelo Governo que classificaram de elitista e segregacionista.