Última hora

Em leitura:

4.a greve geral do ano na Grécia contra mais austeridade


Grécia

4.a greve geral do ano na Grécia contra mais austeridade

A chuva não ajudou à mobilização, na Grécia. Embora o país esteja a funcionar ao “ralenti” devido à 4.a greve geral do ano, as manifestações e marchas previstas pelos sindicatos ficaram muito aquém dos 20 mil participantes registado aquando da greve geral de julho.

A troika, que está em Atenas para mais uma auditoria, preconiza novas medidas de austeridade. Os gregos, há seis anos em recessão, dizem “basta”!

“Desde julho que estamos no esquema da mobilidade, mas estão a gozar connosco. Não temos trabalho”, queixa-se um manifestante. Outro acrescenta: “A mensagem que queremos deixar é que as políticas do governo não estão a levar-nos a lado nenhum, exceto à pobreza e ao desemprego.”

Quatro mil funcionários públicos despedidos e 25 mil em regime de mobilidade permitiram, a Atenas, pela primeira vez, em anos, um excedente orçamental primário pelo que um abrandamento da austeridade seria agora bem-vindo, como explica Stamatis Giannisis, correspondente da euronews em Atenas:

“Esta greve de 24 horas nos setores público e privado é um indicador da reação dos gregos à continuação da austeridade. Enquanto o governo tenta encerrar o ano fiscal com um excedente primário, que eventualmente permitirá o regresso do país aos mercados, esta ação parece ser o princípio de uma nova ronda de confrontos entre governo e sindicatos.”