Última hora

Última hora

Chegou a mais recente novidade de jogos de guerra

Em leitura:

Chegou a mais recente novidade de jogos de guerra

Tamanho do texto Aa Aa

A próxima edição do “Call of Duty” está aí. O jogo de tiro comemora 10 anos com “Fantasmas”, a mais recente edição.

A guerra pode ser enorme. Este último episódio de “Call of Duty”, a guerra na primeira pessoa, deve gerar grandes receitas, como os seus antecessores.A base desse sucesso, é o filme, o espírito do jogo, onde o jogador é imerso em cenas muito realistas e violentas

“Há tantos grandes jogos que saem todos os anos, mas este jogo vende muito mais do que qualquer outro. Eu acho que tem a ver com a gratificação instantânea, mas também é um pouco como um filme blockbuster. No Call of Duty, você pode terminá-lo em 4 horas ou jogar o multiplayer, que pode durar meses e meses, e cria uma comunidade em torno dele, onde as pessoas brincam com os seus amigos que o constróem e cresce e cresce e Call of Duty fica maior todos os anos. É um diversão”, diz um agente inglês.

Call of Duty é esperado por muitos fãs. O sucesso foi garantido antecipadamente.

“Quando fomos confrontados com as estatísticas, no escritório, dissemos ‘uau!’ ok, isso é muito louco. Muitas pessoas jogam o nosso jogo. Dá-nos trabalho, porque é muito mais difícil saber onde ir buscar mais gente apaixonada, para fazer o melhor trabalho que nos for possível. Porque nós não queremos decepcionar os nossos fãs, e vão estar lá, quando o jogo sair, e queremos que eles saibam que nós tentámos dar-lhes o melhor jogo possível”, diz um elemento da equipa de produção.

O tema: uma América devastada, uma paisagem apocalíptica. Cem milhões é o número de indivíduos mordidos por esse bicho, onde as armas de fogo são reis.

Em Londres, para a promoção, um membro da produção foi convidado, para receber os fãs que estavam ansiosos para ver a nova versão do jogo, nas suas mãos.

Uma jovem tirou férias, para jogar:

“Eu tirei uma semana de folga para poder jogá-lo, durante toda a semana. Estou feliz, sim, vai ser demais.”

O debate é eterno. Cada novo jogo de guerra, na primeira pessoa, é projetado, ainda com mais realismo. Isto levanta questões: deveríamos estar indignados com este mundo paralelo hiper-realista? Podemos fazer isso tudo ao vivo, em nome de ficção?

A controvérsia também atinge a dependência destes jogos de guerra. A série existe, na versão proibida, para menores de 16 anos, e na versão para maiores de 18 anos.

O preço: 53 euros para a versão censurada e 95 euros para a versão adulta.