Última hora

Última hora

Os desafios do setor petrolífero mundial

Em leitura:

Os desafios do setor petrolífero mundial

Tamanho do texto Aa Aa

É em plena revolução no setor energético que a procura mundial de petróleo vai continuar a crescer até 2035.

Segundo o estudo anual da Agência Internacional de Energia, a Índia vai superar a China, em 2020, como motor do consumo planetário e o Brasil terá um papel cada vez mais importante. O país passará do 13° lugar para 6° na lista de produtores mundiais de petróleo.

Segundo a AIE, o consumo mundial de petróleo vai atingir, em 2035, os 101 milhões de barris por dia, contra os atuais 87,4 milhões de barris diários. O preço subirá também para uma média de 128 dólares por barril.

A dependência mundial do crude do Médio Oriente vai prosseguir, apesar do declínio previsto da influência da OPEP e da produção dos campos petrolíferos existentes.

Segundo a AIE, os Estados Unidos vão superar o maior produtor mundial de crude, a Arábia Saudita, já em 2015, dois anos mais cedo do que o previsto. Um feito que se deve à produção não convencional, como o petróleo de xisto, mas a liderança será temporária.

O receio da Agência Internacional de Energia é que os produtores do Golfo mantenham a atual política e não investiam, à espera de ver se a revolução do petróleo de xisto vai ou não inundar o mercado. Nesse caso, há um risco de crise no abastecimento.