Última hora

Última hora

Cartéis da droga mexicanos têm música própria

Em leitura:

Cartéis da droga mexicanos têm música própria

Tamanho do texto Aa Aa

O documentário “Narco Cultura” mostra a influência dos cartéis na droga na cultura popular, no México.

O filme realizado pelo fotojornalista israelita Shaul Schwarz, retrata, em particular os “narcocorridos”, um tipo de música ligado ao tráfico de droga.

“Um dia estava em Tijuana e fui fazer a a cobertura de um crime. Fui até Riverside e vi o Edgar Quintero pela primeira vez. Ele estava a dar um espetáculo com um arma na mão e as pessoas à volta dele a cantar. Então pensei que devíamos falar nesse fenómeno e perceber como é que se chegou a esse ponto. Essa foi a ideia inicial do filme”, disse o realizador.

Eduard Quintero compôs canções para vários barões da droga.

“É um documentário muito forte, retrata dois mundos, o da música e o da violência. Shaul relacionou esses dois mundos de uma forma muito impactante”, disse Edgar Quintero.

Em Juarez a violência é permanente. A cada meia hora morre uma pessoa devido aos conflitos ligados ao tráfico de droga. Um contexto perigoso para um realizador de documentários.

“Cresci como fotojornalista, fiz a cobertura de muitos conflitos e guerras e achei esta história muito interessante. Claro que foi perigoso porque eu queria mostrar a linha da frente. Não queria mostrar especialistas a falar mas a vivência real das pessoas”, contou o realizador.

Edgar Quintero rejeita as acusações de que glorifica os cartéis da droga através da música.

“Não estou a glorificar nada, apenas a descrever o tipo de sociedade em que vivemos”, justifica o compositor.

“Narco Cultura,” tem sido apresentado em vários Festivais nos Estados Unidos e na Europa e integra agora o cartaz de um grupo limitado de salas de cinema nos Estados Unidos.