Última hora

Última hora

Empresa que certificava implantes da PIP condenada em França

Em leitura:

Empresa que certificava implantes da PIP condenada em França

Tamanho do texto Aa Aa

A justiça francesa considerou a empresa alemã TUV Rheinland responsável no caso que envolve os implantes mamários da marca Poly Implant Phothése (PIP).

A empesa foi condenada ao pagamento de uma indemnização de três mil euros a cada uma das mais de 1.600 mulheres vítimas de implantes defeituosos.

O tribunal determinou que a empresa alemã, responsável pelo controlo de qualidade, «violou as suas obrigações de controlo e vigilância».

“Próteses foram certificadas por esta empresa durante 15 anos. Certificavam que não comprometia a saúde ou a segurança dos pacientes, mesmo sem tocar em uma única prótese, sem sequer fazer um controle em profundidade, sem ter feito uma verificação aleatória, subcontratou uma empresa que não estava autorizada fazer o trabalho.”

O julgamento sobre o escândalo dos implantes mamários da marca francesa PIP teve início em meados de Abril num tribunal em Marselha. No entanto, a TUV não constava como arguida no processo penal por burla e fraude agravada.

A Defesa da TUV Rheinland já anunciou que vai recorrer da sentença.

“É contra os elementos do dossier, é contra o pedido do próprio Ministério Público de Toulon, é contra o que os investigadores em Marselha diesseram – após uma investigação de dois anos – consideramos que Tüv Rheinland está a ser vítima de fraude pela PIP. Eles estão tentar fugir às responsabilidades isso é chocante”.

Os implantes mamários continham silicone industrial não licenciado, representando um risco para a saúde. Milhares de mulheres em todo o mundo foram submetidas à implantação deste produtos.