Última hora

Última hora

Filipinas: Socorros chegam com atraso às vilas devastadas

Em leitura:

Filipinas: Socorros chegam com atraso às vilas devastadas

Tamanho do texto Aa Aa

Nas Filipinas, os socorros demoram a chegar à ilha de Cebu e a Taclobán, as duas zonas mais afetadas pelo tufão Haiyan. Em Cebu, as populações só receberam ajuda seis dias depois da passagem do tufão, que matou milhares de pessoas no arquipélago.

As equipas de socorro no terreno queixam-se de atrasos, que impedem uma intervenção mais rápida.

A euronews falou ao telefone com um membro de uma equipa húngara: “De 15 em 15 minutos, há um avião que aterra e os soldados conseguem descarregá-lo rapidamente. O problema é que não há combustível na ilha, por isso é impossível fazer chegar a ajuda às pessoas.

Quem vem ao aeroporto, que fica a 11 quilómetros da cidade, consegue aquilo que quer. A equipa húngara e as outras equipas estão a fazer tudo o que podem.

Quando saímos do aeroporto, basta andar algumas centenas de metros para encontrar corpos no chão, alguns destapados, outros postos em sacos, às vezes dois ou três no mesmo saco, outros nos bancos das paragens de autocarro. As autoridades começaram a recolher os corpos, mas por enquanto só das estradas principais. Ninguém sabe quantos corpos pode haver no campo e nas aldeias mais afastadas”.

Taclobán foi a cidade mais afetada. O tufão causou milhares de mortos e terá deixado nove em cada dez habitantes desalojados. Os socorros temem que haja outras vilas, mais afastadas, que estejam em situação semelhante.