Última hora

Última hora

O papel da cartografia nas Filipinas

Em leitura:

O papel da cartografia nas Filipinas

Tamanho do texto Aa Aa

Após um desastre natural como o tufão que abalou as Filipinas, os socorros trabalham a contra-relógio para salvar vidas e ajudar os sobreviventes. Um trabalho que exige coordenação e acesso a informações fiáveis.

A Organização Não Governamental (ONG) MapAction elabora um conjunto de mapas para facilitar os socorros em situações de emergência.

A cartografia baseia-se em relatos dos observadores, informações de agências e imagens fotogradas por aviões e satélites.

Dois voluntários da organização britânica deslocaram-se às Filipinas.

“Estamos no terreno para ajudar os socorristas a planear as prioridades para decidir quais são as missões de ajuda prioritária. Tentamos ajudá-los a ter uma imagem do que se passa para que a ajuda seja o mais eficaz possível”, afirmou Liz Hughes, responsável da MapAction.

Essa informação é partilhada o mais rapidamente possível com outras ONG’s para dar a conhecer a extensão e a gravidade das situações. Outro dos objetivos da cartografia é prevenir novos desastres, como deslizamentos de terreno ou desmoronamentos de edifícios, acidentes que podem ocorrer após as catástrofes.

“As Nações Unidas fazem um trabalho de coordenação com as autoridades públicas e o governo filipino. Nós fornecemos os mapas para ajudar esse trabalho e saber que agências estão a operar em cada setor, quem é que distribui água, onde é que há faltas. Este tipo de elementos pode ser facilmente integrado num mapa, logo que as agências nos comunicam as informações”, acrescentou a responsável.

Após a fase de emergência, a MapAction passa as informações às autoridades nacionais que permanecem no terreno durante a fase de reconstrução.