Última hora

Última hora

Padre francês raptado no norte de Camarões

Em leitura:

Padre francês raptado no norte de Camarões

Tamanho do texto Aa Aa

O padre francês Georges Vandenbeusch foi sequestrado na noite de quarta para quinta-feira no norte de Camarões, anunciou em Paris, o ministério dos Negócios Estrangeiros.

O ministro Laurent Fabius declarou à Agência France Presse que o religioso tinha sido alertado várias vezes do risco e aconselhado a partir, mas o padre acreditava ser seu dever permanecer na área.

Vandenbeusch, 42 anos, responsável pela paróquia de Nguetchewe, foi sequestrado, perto de Koza, no extremo norte de Camarões, a 30 quilómetros da fronteira com a Nigéria. A região é classificada como “zona vermelha” pela central de crise do MNE, Ministério dos Negócios Estrangeiros por causa de ameaças terroristas.

O deputado Alain Marsaud, cuja circunscrição cuida de franceses no exterior, informou que o padre foi sequestrado num mosteiro: “estava com religiosos de origem congolesa e era o único branco”. Marsaud acrescentou que o resgate de um francês hoje custa entre “cinco e dez milhões de dólares”. A posição oficial do Estado francês é de não pagar resgate pela libertação de cidadãos franceses no exterior.

A imprensa francesa fala que os responsáveis foram os extremistas do grupo nigeriano Boko Haram, informação não confirmada pelo Quai d’Orsay, sede da diplomacia francesa. Em fevereiro, o mesmo grupo sequestrou uma família francesa de sete pessoas. Todos foram libertados em abril.

Laurent Fabius declarou que o MNE está a trabalhar para “descobrir as circunstâncias do sequestro” e acrescentou que tudo está a ser feito para encontrar e libertar o padre.

Georges Vandenbeusch está ligado à paróquia de Sceaux, ao sul de Paris.