Última hora

Última hora

Chile: Presidente voltará a conjugar-se no feminino

Em leitura:

Chile: Presidente voltará a conjugar-se no feminino

Tamanho do texto Aa Aa

A socialista Michelle Bachelet e a conservadora Evelyn Matthei vão disputar a segunda volta das presidenciais chilenas dentro de um mês, no dia 15 de dezembro.

Bachelet alcançou quase o dobro dos votos da adversária, mas não conseguiu ser eleita à primeira volta para um novo mandato no palácio La Moneda, depois de já ter dirigido o país entre 2006 e 2010.

A médica de 62 anos, primeira mulher eleita para a presidência de um país sul-americano, ficou satisfeita com o resultado “tendo em conta a grande quantidade de candidatos e o desafio do voto voluntário”. Bachelet afirmou que o triunfo ficou “perto” e prometeu trabalhar “para uma grande vitória em dezembro”.

Entre nove candidatos, Bachelet obteve quase 47% dos sufrágios contra cerca de 25% para Evelyn Matthei. A conservadora considerou que “as segundas voltas são boas para o Chile porque apelam à moderação e a discursos mais centrados” no que se quer para o país.

Bachelet parte como favorita para a segunda volta de umas presidenciais em que a educação e as desigualdades têm dominado os debates e em que o voto não é obrigatório pela primeira vez. Talvez por isso, mais de metade dos chilenos não foi às urnas este domingo.