Última hora

Última hora

Líbano: Grupo com ligações à al Qaida reivindica ataque contra embaixada iraniana

Em leitura:

Líbano: Grupo com ligações à al Qaida reivindica ataque contra embaixada iraniana

Tamanho do texto Aa Aa

Um grupo libanês com ligações à al Qaida, conhecido como Brigadas Abdullah Azzam, reivindicou o duplo atentado contra a embaixada do Irão, em Beirute.

As autoridades libanesas confirmaram a morte de 23 pessoas e ferimentos em mais 146. Entre as vítimas está o adido cultural da embaixada.

O ataque ocorreu de manhã. Após a primeira explosão, várias pessoas acorreram ao local, tendo sido vítimas da segunda, como conta um residente nas proximidades:

“A pequena explosão inicial fez acorrer muita gente para ver o que se passava. Alguns vieram espreitar às varandas, outros sairam à rua. A segunda explosão foi muito grande e muitos ficaram feridos. Vi pessoas a cairem das varandas, outras a serem atingidas por destroços. Ficaram muitos feridos”.

Em visita a Itália, o ministro iraniano dos Negócios Estrangeiros, Mohammad Javad Zarif, lamentou as vítimas e referiu o ataque como um sério alerta:

“A tragédia de hoje vitimou dois iranianos e muitos mais libaneses do que iranianos, infelizmente perderam a vida. Isto deve lembrar-nos a todos, deve ser um sinal de alarme para o facto de termos uma questão para resolver e enquanto não tratarmos esta questão seriamente, isto vai engolir-nos todos”.

A questão para resolver chama-se Síria, onde o Irão tem estado a apoiar militarmente o regime de Bashar al Assad, na luta contra os rebeldes.

O Líbano já sofreu vários ataques no seu território por causa do conflito sírio, que se arrasta há dois anos e meio.