Última hora

Última hora

ONU estima que 600.000 filipinos ainda não receberam ajuda

Em leitura:

ONU estima que 600.000 filipinos ainda não receberam ajuda

Tamanho do texto Aa Aa

As Nações Unidas estimam que, pelo menos, 600.000 filipinos ainda não tenham recebido qualquer tipo de ajuda, depois da passagem do tufão Haiyan.

Para a ONU e para as ONG no terreno, o maior desafio logístico é a geografia da Filipinas, com as suas 7 mil ilhas, e a dificuldade de acesso a inúmeras zonas.

Para já, o programa alimentar mundial alcançou 1,9 milhão de pessoas.

E cerca de 82.000 famílias ocupam os 1500 abrigos de urgência instalados pelas autoridades. Mas, como explica Nida, uma sobrevivente: “Estamos a passar dificuldades, aqui onde estamos. Há pessoas da nossa família que estão desaparecidas… não sabemos nada delas.”

O tufão Haiyan matou mais de 3900 pessoas, e 1600 continuam ainda desaparecidas. As famílias não perdem a esperança de encontrar os entes queridos, entre os quatro milhões de pessoas deslocadas.

O governo orça em 5,8 mil milhões de dólares os custos da reconstrução de casas, escolas, estradas e pontes na área central das Filipinas, a mais devastada pelo tufão Haiyan.