Última hora

Última hora

Nova ronda negocial em Genebra sobre nuclear iraniano sob pressão do aiatola

Em leitura:

Nova ronda negocial em Genebra sobre nuclear iraniano sob pressão do aiatola

Tamanho do texto Aa Aa

O guia supremo iraniano declarou que Israel “está condenado a desaparecer”. Num discurso perante 50 mil milicianos islamitas, em Teerão, o aiatola Ali Khamenei aproveitou ainda para reiterar os direitos nucleares do país.

Um discurso de resposta a Israel, que o Irão acusa de torpedear as tentativas de acordo com as potências ocidentais sobre o nuclear iraniano.

“Reitero que os direitos da nação iraniana têm de ser preservados, incluindo os direitos nucleares. Não vamos imiscuir-nos nos detalhes das conversações mas há linhas vermelhas e limites que têm de ser respeitados”, afirmou Khamenei.

Entre as linhas vermelhas de Teerão estão o direito a enriquecer urânio e a recusa em parar a construção do reator de água pesada de Arak.

Exatamente o oposto do que as potências ocidentais exigem em troca do fim das sanções que estão a asfixiar a economia do Irão.

A nova ronda de negociações, que esta quarta-feira começou, em Genebra, parece, para já complicada.

Todos querem acreditar que um acordo ainda é possível mas os obstáculos são de peso, como explica Fariba Mavaddat, enviada da euronews a Genebra: “Um acordo entre o Irão e o chamado grupo dos 5+1 ainda é possível, com a condição superarem dois grandes desafios: conseguirem satisfazer os radicais de ambos os lados e tranquilizar Israel, convencendo-o de que o Irão não busca a arma nuclear.”